Arquivar 3 de julho de 2018

O rapaz e a felicidade | Origem

Ao amanhecer de um belo dia de primavera, ao cantar de um galo garboso, uma Senhora ouvi um choro semelhante a de uma criança. Levanta da cama e sai correndo para verificar.

Chegando no local, ver um bebê chorando devido ao frio e fome que estava sentindo. Ao ver o indefeso naquela situação, a senhora se prontificou em cuidar dele, pois não entendia por que alguém tinha deixado lá.

Ao de longo de meses, a Senhora ficava na frente da sua casa a espera dos pais do bebê para que fosse devolvido; algo que não aconteceu. Então, ela resolveu cuidar da criança.

O tempo foi passando e quando a criança completou 4 anos de idade, a senhora resolveu a matricular em uma escola localizada em outra comunidade. Todos os dias, ela o levava numa caminhada que durava uns 30 minutos, mas não reclamava do cansaço.

Próximo da escola, existia um belo e majestoso lago. As vezes, a senhora parava para descansar e contar histórias para o garoto. Ele encantava-se de admiração que sentia devido ao carinho e dedicação de como era tratado. Algo tão belo que fugia de qualquer imaginação.

Aos oito anos de idade, o menino já ia sozinho para a escola. Pois, a senhora não mais suportava a rotina de caminhar durante tanto tempo. Certo dia, a menina que na época tinha, aproximadamente, a mesma idade do colega, o pede para irem a escola juntos. A partir daquele dia, ele passava na casa da dela e, juntos, iam para a escola.

História completa AQUI

O rapaz e a felicidade | A surpresa

Acostumando de todos os dias ficar diante daquela deusa: uma morena, de altura mediana, cabelos castanhos, olhos brilhantes e que expressava um andar e sorriso, que cativava em formosura, fica surpreso e preocupado.

Pois naquele dia, ela não estava no local de sempre. A moça tinha tomado uma importantíssima decisão devido a um sentimento forte e puro, que crescia no coração e contagiava-lhe a alma.

O rapaz caminha em direção da sua lavoura, não parecia tão feliz quando de repente! – O coração avisa-lhe! – Alguém que era feliz com a sua felicidade, estava a sua espera.

Uma deusa que se aproxima e lhe dar um beijo, simplesmente vivenciando o amor. Estava se revelando um sentimento que se refletia em uma calma absoluta de paixão correspondida…

Após aquele momento de ligação tão sublime e daquele amor tão belo, aconteceu então, a formalização do namoro. Perante os familiares da sua amada, o rapaz mesclava sentimentos que ia de medo, ansiedade e até de coragem. Porém não houve tempo de ação, logo foi antecipado pelo pai da jovem, que o questionou sobre suas intenções de compromisso naquele namoro.

Antes de responder, pensa na casinha simples e singela onde residia e por isso estava sem jeito de falar, mas mesmo assim começa a apresentar-se para a família da jovem, que concorda com o namoro.

Eles acreditavam na boa intenção do rapaz, pois comprovava na sua história de vida; desde bebê até a sua fase adulta. O pai da jovem informa que sabe de toda história de vida daquele rapaz, muito emocionado, começa revelar

História completa AQUI

Manhã de Domingo | A descoberta

Ao longo dos anos, eles lutaram juntos na busca do filho desaparecido. Procuraram a polícia, mas nada de resultados. Então resolveram manter a rotina e durante os 20 anos faziam as mesmas coisas.

Sempre existia a esperança do retorno do filho para que fosse extinta a dor da saudade. Justamente naquele dia, resolveram não sair de casa. Ele não tinha ido à capela rezar pela volta do filho e nem a senhora tinha se preparada para receber o filho. Como eles faziam todas as manhãs de domingo.

Depois de certo tempo, os jovens entram quarto e viram aquelas pessoas reconhecidas como exemplares tristes, mas, ao mesmo tempo, surpresos, pois não os esperavam naquele dia.

Os jovens olharam para o casal, que no momento encontrava-se abraçado num ato abençoado de companheirismo e de amor, e confessaram ter ouvido todo teor da conversa.

História completa AQUI

Manhã de Domingo | A visita

O casal mais velho e os jovens resolveram se encontrar outras vezes. A partir daquele momento de exaltação a felicidade, onde a experiência era a lição e estímulo; os senhores tentavam expressar uma aparência que não era a totalidade do que os jovens pensavam.

Os encontros dos casais amigos seguiam a risca aos combinados e foram muitos até que se criasse um elo de respeito e até familiar, devido à diferença na idade dos casais.

Certo dia, o jovem casal propôs mudar a rotina e, ao chegar na casa do casal mais velho, percebe algo muito estranho. A porta estava aberta e que, por isso, dava-se pra ouvir sussurros agonizantes de tristeza, cuja intensidade varavam as paredes do quarto harmônico.

Impressionados, os jovens não resistiram, entraram na casa com passos lentos e em seguida subiram a escada que levava a tal situação desconhecida. Próximo do quarto dava-se pra ouvi o que lá diziam e era algo que mudaria a vida de todos. A partir daquele momento, uma transformação era inevitável.

As paredes minavam de lágrimas como resultado das horas de choro, pois naquele dia 14 de dezembro, fazia 20 anos do sumiço do filho. Todo o sofrimento tinha começado em uma bela manhã de domingo, na época, eles eram jovens recém-casados e como de costume levavam o seu filho recém-nascido para a pracinha. Mas, para a tristeza do casal, naquele dia o filho repentinamente desaparece.