Arquivar 6 de agosto de 2014

Homem Agricultor


Sou um homem trabalhador e feliz na roça
Carrego o meu chapéu de palha e a carroça
Tenho a alegria de ser sertanejo no coração
As atitudes viajam no caminho da gratidão.

Debaixo de chuva, vou à luta em busca do pão
Desperto-me ao som do cântico do galo choco
Na beleza exaltante do amanhecer, reflito um pouco
Entrego-me a Deus em fervorosa oração.

Assim sou eu, um matuto, um sabichão
Com a mão na terra, me acalmo e fortaleço
Na dignidade do meu trabalho é que exerço

Sou um agricultor, sou da terra e tenho orgulho
Em constante luta no dia a dia, quase não durmo
Sou da roça, sou feliz e sou matuto.

Homenagem

Como na beleza dos raios do sol ao raiar do dia
Ao esplendoroso céu azul de amor e bondade
Como a calma e dignidade de um abraço sincero
Na essência de uma bondade, Divina em alegria.

Como a sensação da constante esperança
No sentimento constante e fervorosa da Fé
Na sublime lealdade da verdade
Na comprovação de verdadeira inocência.

Esta sensação não cala em meu coração
Que bate feliz, esperançoso e grato
No sentindo de que amam na incondicionalidade
Buscar pela salvação com muito amor e emoção.