Home

Amor

Quero um amor que me faça feliz
Capaz de me deixar sonhando acordado
Me salvando de algo que nunca quis
Trazendo a sublime sensação de apaixonado.

Não quero um amor fantasioso
Destes que fazem sofrer
Desejo um sentimento bondoso
Que desperte-me a alegria do viver.

Meu coração rico em esperança
Que o amor está a chegar
Minha essência alimenta a perseverança
De um esplendoroso amor, eu esteja a vivenciar.

Manhã de domingo | Revelação

Eles disseram ser admiradores do companheirismo e amor sincero expressados pelo experiente casal. Ficavam deslumbrados com a importante referência que o casal de senhores representavam na vida deles.

O senhor e a senhora, logo, agradecem as palavras de reconhecimento e confirmam o motivo de suas tristezas. Não sabiam que o filho estava mais próximo do que eles ali pensavam.

A namorada do rapaz começa a perceber a semelhança entre a história que o rapaz sempre contava-lhe e aquele acontecimento. Ela começa a revelar que há 20 anos, os pais adotivos do rapaz encontraram uma criança que alguém tinha deixada na porta de sua casa e que criaram como se fosse filho.

Depois que tornou-se adulto, o jovem soube da verdade e quis procurar os pais biológicos, mas a busca terminou sem sucesso. Naquele momento, o rapaz estava aos prantos, mal conseguia falar, mas por meio de gestos confirmava aquela história que por várias vezes contou a namorada.

Ao ouvi tal relato da jovem, o casal que naquele momento já tinha perdido a esperança de o reencontrar, conseguiu ver o retorno do filho naquela manhã de domingo.

História completa AQUI

O rapaz e a felicidade | Escola

Um dia, ao voltarem da escola, passaram perto do lago e resolveram ficar um pouco descansando. Depois de um determinado momento, a menina subiu em uma pedra alta e, que quando ia descendo, escorregou e caiu.

Após o acidente, percebeu que tinha machucado um dos pés, pois estava doendo bastante. O menino pede que ela apoia-se em seu ombro, na esperança de poder levá-la para casa.

Os pais, preocupados, resolveram ir para escola, mas no caminho viram o menino trazendo a colega. Ele mal conseguia andar, porém não soltava ela. Depois do ocorrido, a família da menina foi morar na cidade e só retornando após oito anos.

O rapaz, ao completar seus 17 anos, convive com uma dor de perda que assola o coração e arde a alma. Pois ele não esperava pelo falecimento da pessoa que ele tanto amava. Aquela que sempre cuidou dele com muito carinho, ensinando e educando para a vida.

Foram dias sofridos de choro e tristeza, mas ele daria continuação a tudo aquilo que a senhora fazia no seu cotidiano. Ao ir para o trabalho, despedia-se da casinha e agradecia a Deus pela simples e singela moradia.

Foi a partir da continuação deste trabalho que, aproximadamente, quatro anos depois, ele conhece a bela jovem. Após a permissão da família da dela, começam o namoro. Tempo depois acabam se casando em uma cerimônia em frente da humilde casinha.

Anos depois, recebem uma ótima notícia. Bom, mais isto é outra história.

História completa AQUI

Ser Poeta

O poeta poetisa a vida
Seja a beleza, seja a tristeza
A poesia é a melhor saída
Para relatar a sociedade, a natureza .

De uma poça de lama, onde leva um escorregão
Diz: que a água e a terra juntas os levaram ao chão
Sentindo a importância do solo para a criação
Apenas sujou a roupa sem levar um escorregão.

Da carreira de um boi, nada amigo e valente
Conta a história contente de sua velocidade
Juntando em sua volta um monte de gente
Com a mais brasileira de todas as curiosidades.

E quando fala de amor, aí é que é criativo
Nas estrelas ver o brilho de sua amada
A lei do amor não tem parágrafos, nem incisos
É, continuamente escrita, sempre acrescentada.

Quando a dor bate no peito
Para não se afogar na amargura
Mesmo ardendo, por dentro dar o seu jeito
Amenizando, em versos, o que só o tempo cura.
Autor: Jocélio Araujo

Desejos e delírios

Ela sempre o esperava no portão
Era o momento que alegrava o coração
Uma chama que trazia emoção
Tranquilidade que a alimentava de sensação.

Naquela tarde fria e chuvosa
Na alma, algo deixa-lhe nervosa
Ventos de tristeza, afeição chorosa
Caía nos seus sentimentos sem demora.

Chega a notícia por meio da solidão
A esperança cala em seu coração
Na certeza das lágrimas ir ao chão
E, no suor trêmulo de suas mãos.

Neste momento de aflição e agonia
Sussurros na alma, ela sentia
Era um “acorda, amor” já é dia
Vem, vamos de alegria.

Cheio de esperança

Ele esperava sempre o amor bater a porta do seu coração
Não desanimava de jeito nenhum, mesmo diante de tanto nãos
Enxergava otimismo em tudo, tudo o que era sensação
Sonhava com uma deusa, que chegava e trazia-lhe união.

Certo dia aparece, nada de deusa, uma mortal
Tira-lhe o fôlego, num sentimento surreal
Não era quem ele esperava, mas era sensacional
Domina sua vida, cativa o coração e prende o emocional.

O sorriso de felicidade personifica sua esperança
A alegria invade a alma, torna-se momentos de bonança
Ele se sente completado por ela, ela era sua herança
De uma vida confiante, esperançosa e de mudança.

Dia de felicidade

O sorriso é despertado ao perceber você em mim
A minha alegria provoca uma confiança sem fim
De um amor belo e grandioso, flor de jasmim
Recebo de ti, sensação de esperança, esperada assim.

Sinto a calma de um amor correspondido
Na plenitude da complexidade do amar
Me vejo reinando na riqueza do sonhar
Seguindo um caminho, sem sentimento arrependido.

Sua voz é a melodia que encanta a minha alma
Seu perfume acalma a minha essência
Seu toque desperta infinita sensação de evidencia
De algo eterno, sublime e de calma.

Coisas de momento

Ele queria a sua felicidade unida a dela
Ela sonhava na numa união do sentimento
Ambos desejavam viver na plenitude do momento
Um mundo repleto de amor, uma nova era.

Um terceiro entra neste mundo idealizado
Espaço pequeno, amor ingênuo, mas não influenciado
Relação abalada, mas que não cala, um amor amado
Que resiste, que lutar, e nada é tocado.

Por fim, o amor saí como vencedor
A três, não dar, sim ao amor, não a dor
Continuam os planos sem pudor
Muito mais alegria, confiança e calor.

Eu sei o que aconteceu

Era uma bela manhã de sábado
Parecia que o sol estava mais radiante
Seu sorriso: uma relíquia, um achado
Minha essência iluminada e brilhante.

Meus gestos buscavam os seus em pensamento
Meu desejo a sentia em minha alma
Sua presença era personificada em momento
Seus sussurros, ao ouvido, traziam calma.

De repente, uma misteriosa ligação
Surpreso, meu coração me alertou
Percebeu no rosto, uma aflição
Que a hora da verdade chegou.

Na hora, minha alma personificou
O sentimento de angústia e desamor
Que sem demora, logo, se revelou
Estremecido, estava o nosso amor.

Saiu de mim, sem dizer pra onde
A minha esperança me alertava
No desespero, a razão me tranquilizava
Mas na realidade: ela se foi e se esconde.

Meus dias foram feitos de mistérios
Destes que não se finda as indagações
No sofrimento, me desespero
Minha vida transformada em decepções.

Ouço relatos que machucam no sofrer
Me apego nas emoções e sensações
Que alimenta a espera sem saber
Se há falta, se há amor ou são ilusões.
EU SEI O QUE ACONTECEU!!!!

A moça

A moça se aproxima, cumprimenta a todos e apresentar-se. Júlio fica encantado e cada palavra que saía da boca dela era música para o seu coração apaixonado, que por mais que tentasse disfarçar, ficava evidente sua admiração por ela. Aquele momento passou e, no final do expediente, todos foram embora.

No dia seguinte, Júlio foi o primeiro a chegar no trabalho, adiantou quase tudo para que pudesse oferecer a sua ajuda para a moça, ele já até tinha ensaiado um motivo para a aproximação. Os colegas que iam chegando estranhavam vê-lo ali, pois ele tinha chegado antes do horário.

Quando ela surge no horizonte do Júlio, um sorriso de felicidade é invocado por sua alma, amado por seu coração e expressado por seus lábios. Ele não consegue disfarçar, estava feliz com a felicidade de quem se ama. Todos perceberam.

Júlio fazia de tudo para ficar do seu lado, todo momento se oferecia para ajudar e ela, educadamente, agradecia e fazia-lhe elogios. Meses se passaram e, aos poucos, ela parecia corresponder aos sentimentos do Júlio, chagava até convidá-lo a sair nos finais de semanas com os amigos, mas Júlio sempre recusava, pois queria um momento somente com eles dois.

O convite

Depois de mais um convite da Moça, ele aceitar sair com ela e os amigos, pois não aguentava mais esperar por um momento a sós, que parecia não ter chances de acontecer, pois ela sempre tinha desculpas para não sair apenas com ele.

Chega o dia tão desejado por Júlio, o dia de estar ao lado de sua deusa, de beleza que fascinava sua razão de viver e irrigava seu coração de amor no mais elevado esplendor. Um sentimento belo que o fazia sonhar acordado, viajar na sublime felicidade e despertava a esperança da união entre eles.

Ao chegar na casa dela, ele ver várias moças, mas uma em especial não largava a mão de sua deusa. Ela observa por um tempo e resolve se aproximar para irem juntos ao baile. Para ele, aquele era o dia, o dia da felicidade plena, pois seria o dia que pediria a moça em namoro.

No baile, dançaram, beberam juntos e conversaram. Chega o momento da atitude de Júlio, era o momento de ele se declara para a moça. Ele a chama e diz que precisa falar sobre algo que está em seu coração, algo muito importante. A moça diz que também tem algo para falar, Júlio começar a chorar, acreditando ser um amor correspondido. Então, pede para a moça falar e ela começa: diz que ele tinha sido escolhido, pois sentia uma grande admiração e completou que seria uma honra tê-lo como um dos padrinhos do seu casamento.

PRIMEIRA PARTE ))) Júlio, o rapaz desconfiado

A brincadeira

O moço, assim como era chamado por ela, toma um susto e fica em silêncio com tal proposta. Ela volta a insistir com a intenção de ajudá-lo. Sentindo confiança na atitude dela, ele aceita e, a partir daquele momento, começa com a brincadeira.

Eles voltam para casa e anunciam, para os irmãos do moço, que estão namorando. Os irmãos dele demora um pouco para se convencerem da história, mas com passar do tempo acabam acreditando.

Aquele moço estranho, calado e de pouca conversa já começa levar a sério toda aquela situação, enquanto a moça continua encarando a história apenas com uma grande brincadeira.

Chega o dia de ela e a família ir embora, ele não acreditava que os momentos de felicidades estavam prestes a acabar. Não quis participar da desperdiça, correu para a pracinha para chorar sozinho.

Anos depois, a família do moço recebe um convite de casamento. Ruthi iria casar! ……..

PRIMEIRA PARTE ))))) Preso ao sonho